terça-feira, 29 de novembro de 2011

TOURADAS "à portuguesa": Será que de fato a Tortura dos touros em Portugal é Menor?


Já há diversas postagens estamos nos referindo à tauromarquia na Espanha e denunciando os contornos macabros que ela adquire naquele país.
Passemos então aqui à tauromarquia tal como ela acontece em Portugal.
Será que de fato ela é menos monstruosa, ou o terror apenas é escondido do olhar dos portugueses?
Pelos regulamentos que prevalecem em Portugal, com exceção do Touro da Morte (que acontece exclusivamente em Barrancos, cidade portuguesa localizada a apenas 3 km da fronteira com a cidade espanhola de Extremadura), os touros não são mortos nas arenas, à vista da platéia de "aficcionados".
De acordo com estas "diretrizes" os touros são removidos das arenas ainda vivos, depois de extremamente torturados e furados.
Consultando um link que traz uma postagem muito interessante e elucidativa, redigida em Espanhol, a resposta para a pergunta acima é claramente "NÃO":
http://www.liberaong.org/nota_explotacion.php?id=43






Os bastidores da Tortura:

Encerrado o "espetáculo", com o animal extremamente ferido, ele é conduzido a um curral localizado dentro da própria arena, onde as lanças que o perfuraram são removidas. Desenhadas de forma a se abrir dentro de seu corpo, ao serem arrancadas, grandes pedações de sua carne são simultaneamente removidos juntamente com cada uma delas.
Segundo o "regulamento" que prevalece em Portugal, todos os animais assim barbarizados, em profuso sangramento e com dores excruciantes, devem ser conduzidos para o abate em um único matadouro "credenciado", localizado em Santarém, cidade a cerca de 100 km de distância de Lisboa. (Como a vasta maioria das touradas é realizada no sul do país, imaginem o terror imposto a estes animais durante o translado de distâncias gigantescas, sangrando profusamente e em estado de dor execrável)
Cerca de 4 MIL touros enfrentam este destino anualmente em Portugal. Com uma agravante, ainda não mencionada entre as afirmações anteriores: como a maioria destes espetáculos de tortura acontece nos finais de semana, em que o matadouro está fechado, são mantidos nesta condição de agonia dolorosa por vezes mais de 72 horas até o momento de seu assassinato com pistolas de "pernos" (parafusos, pinos).

Parece que a REAL diferença entre as touradas na Espanha e as touradas em Portugal é o grau de HIPOCRISIA de seus promotores. Enquanto um país expõe abertamente a loucura insana dos adeptos das touradas, o outro faz de tudo para mascará-la.
Não há como "suavizar" a barbárie da tauromarquia. Como torná-la "palatável" ou insistir em transformá-la em "patrimônio cultural", como alguns impostores psicopatas tentam fazer.

Recomendo a leitura atenta de Gary Francione em artigo recentemente postado em seu blog:
http://francionetraduzido.blogspot.com/2011/11/matar-animais-e-faze-los-sofrer.html
‎"E por favor lembre-se: as reformas do bem-estar fazem pouco, se é que fazem alguma coisa, para reduzir o sofrimento animal. Mas, em todo caso, o ponto importante é que o veganismo não é apenas uma questão de reduzir sofrimento; é uma questão de justiça moral fundamental. É o que devemos àqueles que, como nós, valorizam suas vidas e querem continuar a viver."
" ... a posição do bem-estar animal – de que é o sofrimento dos animais, e não o fato em si de os matarmos, que suscita um problema moral – toma como certa uma questão muito importante: supõe que como as mentes dos animais são diferentes das mentes humanas, os animais, diferentemente dos humanos, não têm o tipo de autoconsciência que se traduz em um interesse em continuar vivendo. A posição do bem-estar necessariamente supõe que a vida animal tem menos valor moral do que a vida humana."
"Um dos pontos centrais do meu trabalho tem sido desafiar essa suposição bem-estarista e argumentar que a única posição não especista que devemos assumir é que qualquer ser senciente – qualquer ser perceptivamente consciente e que tenha estados subjetivos de consciência – tem interesse em continuar vivendo. .... Se os animais tiverem interesse em continuar a viver, como eu afirmo pelo simples fato de eles serem sencientes, e se esse interesse importar moralmente, como eu argumento, então só há uma conclusão plausível: qualquer uso de animais – por mais “humanitário” que seja – é injusto."

Em defesa da abolição da tauromarquia a ajuda tem vindo de uma fonte inesperada: os próprios veterinários destes países, anteriormente em silêncio a respeito do que acontece com estes pobres animais.
Está MAIS do que CLARO que os animais SOFREM, são seres sencientes e, como tal, sentem dor, medo, apego à vida. Abaixo posto na íntegra a comunicação oral feita por um veterinário espanhol ao Parlamento da Catalunha, Espanha, Dt. José Enrique Zaldívar Laguía:
http://www.gevha.com/prensa/articulos/todos-los-articulos/97-comparecencias-en-el-parlament-de-catalunya/1028-el-sufrimiento-del-toro-en-la-lidia-lesiones-anatomicas-alteraciones-metabolicas-y-neuroendocrinas

O relato, uma resposta à altura dos absurdos sustentados pelos pró-touradas com base em "estudos" mantidos anteriormente na Universidade de Madrid, se refere às suas contatações do intenso sofrimento experimentado por estes animais nas arenas, onde são submetidos por força da bestialidade do ataque a intensas alterações metabólicas, neuroendócrinas e metabólicas. Conclui o veterinário:

"El bienestar animal a de abordarse bajo bases científicas verdaderas. La percepción errónea de los animales como seres que no sienten y que por tanto son incapaces de sufrir, hace que se desarrollen actitudes negativas hacia ellos, que se reflejan en conductas de neglicencia, crueldad o trato irrespetuoso". E, para arrematar de vez, Dr. José Enrique citando Sófocles:

"Una mentira nunca vive hasta hacerse vieja".




Com relação a Portugal especificamente, a se registrar o fato de que a Polícia Judiciária está investigando (finalmente) as denúncias feitas agora por veterinários do país sobre como os touros TORTURADOS nas arenas do país são primeiro DROGADOS para que não representem risco real aos "valentes" toureiros do país.
http://cm.viatecla.pt/detalhe/noticias/nacional/economia/pj-investiga-utilizacao-de-drogas-nos-touros

COVARDES IMUNDOS & HIPÓCRITAS
Esta é a "valentia" dos senhores aficcionados e toureiros, que gostam de sua gabar de sua "arte" e sua "tradição". São IMPOSTORES e SÁDICOS, que se urinariam nas calças de outra maneira.
PSICOPATAS COVARDES, isto sim.



Leia também:
Site que talvez muitos queiram consultar.
É possível acessá-lo em diferentes línguas.
http://www.iwab.org/ongoingcampaignspor.html
http://www.abc.es/agencias/noticia.asp?noticia=998493

5 comentários:

  1. Bando de covarde isso é o que ele são. Loucos frustrados com a vida vão lá se vingar no coitado, que nem sabe pq nasceu. Vão se ocupar com alguma coisa que realmente valha a pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. puxa meu conseito com portugal é decpsionante não sabia que ezistiam touradas la tanbem acho que tão cedo não vou pra la não,não consigo compactuar com isso,touradas é touradas é torturas é crueldade,é crime.

      Excluir
  2. Esses portugueses pensam que são muito espertos em fazer a tourada sem mote. Muito pelo contrário não passam de um bando de torturadores cruéis. Quando matam covardemente esses psicopatas ponem o fim no sofrimento de um pobre ser indefeso e inocente.
    Quanto não matam esses mesmos psicopatas fazem com que o animal sofra na arena para posteriormente ir para o matadouro.
    Malditos imbecis, monstros medievais: Toureiros, cavaleiros e toda a plateia que participa do maior ato de covardia que um ser humano possa praticar contra um animal o qual é colocado sempre em posição de pode ser defender. COVARDES!

    ResponderExcluir
  3. Quanta selvageria! Sem palavras para qualificar estes montros. Que tipo de ser humano é esse? Que nojo!!

    ResponderExcluir
  4. Amei o post! Super esclarecedor e didáctico!
    Que as pessoas abram os olhos... :/

    ResponderExcluir